O encantador de gatos – Introdução de um novo felino

Vamos comentar neste post algo que acontece com certa frequência em algumas residências: a introdução de um novo felino e a resistência por parte daqueles que já moram no local.

É comum que os veteranos tenham resistência e, por vezes, ataquem o felino novato. Mas tudo tem jeito e há algumas técnicas que ajudam muito neste momento de adaptação para ambos animais.

“NÃO introduza o novo animal diretamente no ambiente.”
Sempre que for possível, ao receber um novo felino, coloque-o num quarto ou local fechado (para não fugir) com ração (de preferência igual a dos veteranos) e água a vontade. Os felinos não são presos ao ambiente como a ignorância popular diz, mas possuem sim, uma ligação mais territorialista, de modo que, só o fato de mudarmos o animal de local, estamos provocando um certo stress no bichinho.

“Comece um trabalho de adaptação usando o olfato.”
Os animais são extremamente sensíveis com o sentido do olfato. Os veteranos vão saber que há “alguém novo na área” e provavelmente vão cheirar pela fresta da porta, podem miar, etc… essa reação depende de cada bichano. Mas há como tirar proveito desta sensibilidade. Faça carinho nos veteranos para que o cheiro deles passem para suas mãos, etc… depois, vá no ambiente do novato e faça carinho nele, para que: 1) sinta o cheiro dos veteranos e com o seu carinho, associe a algo bom, 2) para que o cheiro do novato se misture com os veteranos. Volte nos veteranos e deixem eles cheirarem, se fizerem fúuu (riscar fósforo) não se intimide, espere um pouquinho e faça carinho neles. A idéia é misturar os cheiros, na verdade, se apresentarem pelo cheiro recebendo uma atitude de carinho, de algo bom.
Neste momento também seria muito bom se você conseguir uma peça de roupa velha, onde os veteranos possam rolar em cima, dormir, enfim, passar o cheiro deles. Levar para o novato fazer o mesmo e voltar com a roupa aos veteranos. Um fato importante é que não é apenas compartilhar o ambiente que incomoda os animais, mas principalmente, compartilhar aqueles que eles escolheram para serem donos. Ou seja, a mim e a você. Eles geralmente escolhem alguém da casa para serem mais próximos, etc… e esse egoísmo pessoal está entre os fatores de maior stress nas relações coletivas entre os animais. Tivemos sucesso com essa técnica com os nossos quando da adaptação.

“Introduza o novo animal aos poucos.”
Ao passar de dois dias ou três, você terá essa sensibilidade, comece a liberar o animal para conhecer a casa ou apartamento. É muito importante você acompanhar esses primeiros movimentos. Os veteranos estarão curiosos e podem estranhar. Se houver riscado de fósforo ou movimentação agressiva, separe os animais. Não deixe que eles “se resolvam” pois isso só vai aumentar a raiva. Também não bata neste momento (aliás, nunca batemos nos nossos), converse com os veteranos, passe a mão neles, acalme-os com uma voz tranquila e fortaleça o fato de que eles vão continuar sendo amados e não perderão seu papel na família. Pode parecer bobeira mas não é, os animais possuem uma sensibilidade que nós humanos ainda não a conhecemos em sua plenitude. Se for dar briga, volte com o novato para o ambiente separado e recomece o passo um, use as roupas, etc…

“Não force a relação.”
Pode ser que na ansiedade de tudo dar certo, você coloque um animal próximo do outro propositadamente. Isso geralmente não dá certo e os veteranos costumas se sentir ameaçados e tornam-se agressivos instintivamente. Não faça isso, seria como provocar uma “rinha de gatos”. Deixe-os se descobrirem devagar, no ritmo deles. No início muitas vezes vão ficar distantes, observando uns aos outros, mas em pouco tempo estarão próximo e com nosso apoio, serão amigos.

“Mesmo assim está tenso.”
Procure nos petshops especializados ou na internet, por florais felinos. São “perfumes” feitos artesanalmente que ajudam a acalmar os felinos tornando o ambiente mais agradável. Algumas pessoas já tiveram sucesso com esse procedimento.
Compre também a “erva dos gatos”, catnip. É um matinho que eles simplesmente adoram, vão a loucura. Isso também acalma os felinos. A erva pode ser compartilhada mas ela não deve durar muito. Eles vão mastigar o canteirinho no potinho e detonar a graminha.

Você não precisa introduzir o floral e a erva ao mesmo tempo. Nem acho recomendável. Prefira uma técnica por vez e avalie o resultado antes de reintroduzir o floral ou a erva.

“Mais alguma coisa?”
Sim, na verdade um dos itens mais importantes é a castração dos animais. Que além de beneficiá-los fisicamente, atua na saúde emocional.

Vou colocar em outro post algumas ‘descobertas’ que fizemos durante o tempo que nos  ajudam hoje com muita propriedade a cuidar de nossos animais com maior efetividade.

Chris Nicklas e seus gatos

Chris Nicklas e seus gatos

E para fechar, sempre consulte um veterinário de sua confiança. Converse com ele sobre estes e outros aspectos. Este profissional estudou muito para poder nos ajudar com nossos queridos e pode orientá-lo com outros métodos e procedimentos dentro do contexto em que sua família se encontra.

Não desista deles! Infelizmente grande parte dos felinos são animais incompreendidos em uma sociedade onde a personalidade e independência (parcial) não são aceitas pelos humanóides. Mas só quem já em um gato sabe como é impossível viver sem eles depois!

Um forte abraço e sucesso com os novos membros da família!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Be Sociable, Share!
This entry was posted in Geral, Reportagem. Bookmark the permalink.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *